Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Temas > Remoções
Início do conteúdo da página
Temas

Remoções

Publicado: Quarta, 20 de Junho de 2018, 14h40 | Última atualização em Segunda, 17 de Setembro de 2018, 14h24 | Acessos: 139

Discursos higienistas dão o tom às reformas urbanas no Brasil desde, pelo menos, a proclamação da República. Nos anos 1960, em especial após a instauração da ditadura militar no Brasil, milhares de famílias foram deslocadas das comunidades em que viviam e transferidas para bairros e conjuntos habitacionais distantes das áreas mais valorizadas da cidade, que ao longo de décadas haviam presenciado o crescimento de ocupações de terrenos vazios por famílias pobres e seus barracos de madeira e latão.

Em março de 1964, seguindo-se a uma traumática desocupação na favela do Pasmado, 116 famílias da favela Getúlio Vargas (Gávea) foram deslocadas para a Vila Kennedy e para os Parques Proletários da Gávea e Leblon (que por sua vez seriam extintos nos anos 1970). A oposição de moradores da favela foi intensa e contou com a participação de lideranças comunitárias históricas, como Magarino Torres, da antiga e proscrita União de Trabalhadores Favelados. O governo Carlos Lacerda, então governador da Guanabara, apoiado na forte atuação da sua Secretária de Serviços Sociais Sandra Cavalcanti, reprimiu todas as resistências em todas as comunidades que foram alvo de remoção, caminho que seria seguido por seu sucessor, Negrão de Lima.

O processo de remoção de moradores das chamadas favelas foi um dos assuntos cobertos pelo Repórter Esso, noticiário que começou no rádio em 1941 e migrou para a TV em 1950. No filme abaixo, a cobertura da remoção dos moradores da favela Getúlio Vargas. Infelizmente, como boa parte dos filmes pertencentes a antiga TV Tupi presente no acervo do Arquivo Nacional, não conta com banda sonora (o som era acrescentado posteriormente).

BR RJANRIO NO.0.FIL.117 - início de mudança dos moradores da favela getúlio vargas - Dossiê mudança dos moradores da favela para a vila kennedy, para a avenida brasil e para os parques proletários da rua marquês de são vicente, na gávea, rio de janeiro. Repórter Esso. Fundo TV Tupi.

O acervo do Arquivo Nacional pode ser consultado em http://an/sian/Seguranca/Principal.asp 

 

 


Referências

Mello, Juliana Oakim Bandeira. Urbanização sim, remoção não. Dissertação de mestrado em História na UFF. Niterói, 2014. http://www.historia.uff.br/stricto/td/1783.pdf. Consultado em 13 de junho de 2018.

Rodrigues, Rute Imanishi. Os parques proletários e os subúrbios do Rio de Janeiro: aspectos da política governamental para as favelas entre as décadas de 1930 e 1960. IPEA: textos para discussão, Rio de Janeiro, janeiro de 2014. http://ipea.gov.br/agencia/images/stories/PDFs/TDs/td_2016.pdf Consultado em 13 de junho de 2018

 

Comments powered by CComment

registrado em:
Fim do conteúdo da página