Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Brasil, Urgente

Publicado: Quinta, 02 de Mai de 2019, 17h06 | Última atualização em Terça, 10 de Setembro de 2019, 18h24 | Acessos: 557
Cartaz de divulgação do jornal "Brasil, Urgente". S.l. S.d. Fundo Brasil Urgente. BR RJANRIO F5.0.0.17

 

 

 

Brasil, Urgente: um jornal do povo a serviço da justiça social

 

“Esse jornal não nasceu de interesses econômicos. Não surge bafejado por grupos políticos ou financeiros. Nem brota do beneplácito de trustes, nacionais ou internacionais. Começa a existir, porque oito mil acionistas, brasileiros de todas as camadas sociais, particularmente trabalhadores e homens da classe média, estão convencidos de que se faz necessário um jornal livre, a serviço exclusivamente da verdade e da justiça social.” (Brasil, Urgente. São Paulo, 17 de março de 1963)

 

Assim era descrito o periódico Brasil, Urgente em seu primeiro editorial. O jornal semanal foi lançado no dia 17 de março de 1963 sob a direção do frei dominicano Carlos Josaphat Pinto de Oliveira e circulou até abril de 1964. Durante esse período, foram publicados 55 números.

Veículo de imprensa da esquerda católica, o periódico manteve uma posição progressista frente à crise política e social que avançava durante o último ano do governo de João Goulart e que teve seu desfecho com o golpe militar de 1964. O termo “esquerda católica” foi utilizado pelo cientista político Cândido Mendes de Almeida para designar esse movimento reformista, que ganhou força a partir da segunda metade da década de 1950, estruturado por setores do catolicismo brasileiro e que defendiam a ideia de uma ruptura na estrutura sócio-econômica, responsável pelo subdesenvolvimento nacional (Oliveira, 2007).

Charge "Os ministérios e os caminhos" de Claudius Sylvius Petrus Ceccon. Brasil, Urgente. São Paulo, 23 a 29 de junho de 1963. Ano I, no.15. Periódico Raro. Vol.1, p.385

 

Foi neste contexto de efervescência social e política que surgiu o semanário Brasil, Urgente, propondo-se a ser o veículo de formação de opinião indispensável à construção de um amplo movimento social capaz de superar a estrutura desigual existente no país. Segundo o estatuto de criação do jornal, uma de suas finalidades seria “a promoção da justiça social nas mentalidades, nos costumes e nas instituições, particularmente tendo-se em conta a atual fase do desenvolvimento sócio-econômico e cultural do Brasil.” (BR RJANRIO F5.0.0.1/7, p.1)

Pautas como o movimento estudantil, as reformas de base, as greves e manifestações de trabalhadores, o papel do cristão na política – contrariando o entendimento de que a fé religiosa seria essencialmente apolítica – e os monopólios das grandes empresas e do capital estrangeiro figuravam nas páginas do periódico que se apresentava como uma imprensa alternativa aos jornais regulares. Um “jornal livre”, pois não dependia dos grupos econômicos dominantes, tendo a liberdade de dizer “a verdade”, “doa a quem doer”. A publicação do semanário só foi possível a partir da reunião de 8000 acionistas, tarefa empreendida ao longo do ano de 1962, que resultou na fundação da sociedade anônima Veritas – lema da Ordem dos Dominicanos – responsável pela impressão do jornal.

Carta convite para subscrição de ações do jornal "Brasil, Urgente". S.l., 1962.
Fundo Brasil Urgente. BR RJANRIO F5.0.0.1.13

 

De natureza privada, o fundo Brasil Urgente (BR RJANRIO F5) foi doado ao Arquivo Nacional em 2009 por Fausto Figueira de Melo Júnior, filho de um dos fundadores do jornal, Fausto Figueira de Melo. Além dos 55 exemplares impressos do jornal, encadernados em dois volumes e sob guarda da Biblioteca Maria Beatriz Nascimento, o acervo referente ao jornal é formado ainda por alguns materiais relacionados às matérias publicadas ou às atividades da empresa jornalística, tais como fotografias, correspondências, o projeto do jornal, contendo objetivos, princípios fundamentais e estrutura organizativa, logotipo, atas de reuniões, entre outros - importantes fontes para o estudo da história política do período.

Semanário "Brasil, Urgente". Capa. São Paulo, 24 de março de 1963. Ano I, no.2.
Periódico Raro, vol.1, p. 50.

 

A consulta dos 55 exemplares do jornal Brasil, Urgente é feita através da base de dados da Biblioteca do Arquivo Nacional no site:

http://biblioteca.an.gov.br/scripts/bnportal/bnportal.exe/index

A consulta ao fundo arquivístico Brasil Urgente (código de referência F5) é realizada a partir do SIAN, cadastre-se e acesse a base de dados:

http://sian.an.gov.br/sianex/consulta/login.asp

 

Bibliografia e sugestões de leitura:

GAVIÃO, Fábio Pires. Religião e reformas sociais: uma leitura do discurso da esquerda católica brasileira no campo político do pré-golpe (1960-1964). Revista Brasileira de História das Religiões. Maringá, 2008.  Ano I, n. 2, p. 149-182.

http://www.dhi.uem.br/gtreligiao/pdf1/06%20Fabio%20Pires%20Gaviao.pdf

OLIVEIRA, Pedro A. Ribeiro. "Libertação": idéia-força da "Esquerda Católica". In: GÓMEZ DE SOUZA, L. Alberto. (Org.). Relativismo e Transcedência. Rio de Janeiro: EDUCAM, 2007, p. 31-45.

SILVA, Wellington Teodoro. O jornal Brasil, Urgente (1963-1964). Interações – Cultura e Comunidade. Minas Gerais, 2009. v.4, n.6. p.47-62.

http://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/6672/6104

SILVA, Wellington Teodoro. O Jornal Brasil, Urgente: experiência de esquerda no catolicismo brasileiro (1963 -1964). Tese de doutorado em Ciência da Religião – UFJF. Juiz de Fora, 2008.

https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/3365

Comments powered by CComment

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página